.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Fevereiro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28

.posts recentes

. 11 de Fevereiro - Dois an...

. SEMANA DA VIDA

. ADAV-VISEU … UM NOVO FÔLE...

. Feliz 2008... em favor da...

. Vidas abortadas legalment...

. MADELEINE

. 2007, Maio, 6 - Dia da Mã...

. Vamos caminhar pela vida!

. Dia Internacional da Mulh...

. A REN e os resultados do ...

.arquivos

. Fevereiro 2009

. Maio 2008

. Janeiro 2008

. Agosto 2007

. Maio 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

blogs SAPO

.links

Domingo, 20 de Agosto de 2006

SLOGANS ABORTISTAS (III)

***********************************

“NINGUÉM ESTÁ A FAVOR DO ABORTO MAS, …EM ALGUMAS SITUAÇÕES É A ÚNICA SAÍDA!”

 

Este é um slogan profundamente hipócrita, imoral e alienante.

 

1. - É Hipócrita porque passa a mensagem de que uma gravidez não desejada é uma angústia insuperável enquanto esconde que, gravíssimas são as consequências psíquicas e físicas do aborto para as mulheres que a ele recorrem.

Com efeito, após um aborto, as consequências físicas e psíquicas para a mulher são muito mais graves do que as resultantes de uma gravidez e daquelas que pretensamente quer resolver.

Entre os danos psíquicos salientam-se os seguintes:

·       sentimentos de remorso e de culpa,

·       mudanças de estado de ânimo e depressões,

·       choro sem motivo aparente,

·       estados de medo e pesadelos,

·       alcoolismo,

·       frigidez…

Estas situações são acompanhadas por perturbações físicas tais como:

·       alterações do ritmo cardíaco e  da tensão arterial,

·       dores de cabeça, ,

·       transtornos do sistema digestivo…

 

Um estudo realizado nos USA, que analisou, num universo de mais de nove mil mulheres em idade fértil, qualquer acontecimento relacionado com a gravidez ocorrido no ano que antecedeu a sua morte, concluiu que:

·       as mulheres que abortam correm muito mais riscos de morrer de “morte natural”, causa de morte registada na certidão de óbito, do que as que levam a gravidez até ao fim,

·       maior tendência para o suicídio,

·       maior propensão para morrer de acidente e ser vítimas de homicídio…

 

Não há dúvida que dar à luz é mais saudável do que abortar porque, enquanto dar à luz é um processo natural – nenhum animal aborta as crias por opção – o aborto é, claramente, oposto â natureza.

Contrariamente ao que tentam passar os defensores do aborto este não resolve qualquer problema de saúde pública. Pelo contrário, antes os cria e agrava, aumentando os encargos com a saúde suportados pela Sociedade.

 

2. - É imoral, e é faltar à verdade, defender que, promovendo o mal se pode alcançar um bem. Próprio da natureza humana é praticar o bem para promover mais e melhor Bem Comum. Por isso, promover a prática do mal para daí tirar supostos benefícios individuais é ir contra o Bem Comum. E quando, para alcançar esse suposto bem se passa, sem hesitações, pela morte com requintes de barbárie, de um inocente indefeso e sem voz, nenhum código moral o pode aceitar.

 

3 É Alienante porque próprio da pessoa humana é ser optimista, isto é, promotor de óptimos na vida pessoal e social. E ser cidadão optimista, consiste em dar corpo a todas as circunstâncias possíveis para construir uma Sociedade mais humana e mais solidária.

A mensagem que passam os defensores do aborto é a do situacionismo, do conformismo, de vogar ao sabor da crise sem, com seriedade, tentar resolvê-la, da falta de vontade de criar condições para transformar a sociedade tornando-a mais humana e mais feliz.

 

E para isso era preciso tão pouco:

·       politicas de família e de apoio à maternidade e natalidade;

·        educação para o amor que é muito mais do que uma difusão e instrução de práticas sexuais precoces e promíscuas falsamente apelidadas de “seguras”:

·        apoio religioso psicológico e orientação educativa, especialmente nos casos de mães solteiras, gravidez de risco ou trauma pós-violação;

·       nova legislação do Trabalho

·       apoio a instituições de ajuda à família,

·       fomento da prática da adopção…

A. Faure

publicado por adavviseu às 18:32

link do post | comentar | favorito
3 comentários:
De Francisco Monteiro a 24 de Agosto de 2006 às 10:39
O texto trouxe-me à memória uma frase de Platão que penso se aplica às MÃES que , contra todas as dificuldades levam a gravidez até ao fim :

«Quando procuramos o bem dos outros encontramos o nosso»
De adavviseu a 25 de Agosto de 2006 às 12:31
Caro Francisco.
Verificando mais um comentário seu não posso deixar de o saudar e ao mesmo tempo deixar-lhe uma palavra de incentivo a visitar este blog que se pretende sóbrio, simples, amigável mas, ao mesmo tempo, profundo, rigoroso, dinâmico e aberto ao debate de ideias sempre tendo em conta a finalidade última da Associação - a defesa e a apoio às vidas e àVida!
Obrigados
De Nita Ferreira a 24 de Agosto de 2006 às 17:47
Quando

Quando a luz da vida
em cada homem
como paz sem algemas
rufar o seu tambor
não mais escuridão e breu
cobrirão o existir
e o sol
enchendo o peito humano
secará toda a dor

Então os céus azuis
enfim libertos
em imensidão e esplendor
serão das aves
que nele hão-de escrever
a vida e seu valor
entre gorgeios de luz
na intensidade da PAZ
na tranquilidade do AMOR

Nita Ferreira

Comentar post

.subscrever feeds