.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Fevereiro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28

.posts recentes

. 11 de Fevereiro - Dois an...

. SEMANA DA VIDA

. ADAV-VISEU … UM NOVO FÔLE...

. Feliz 2008... em favor da...

. Vidas abortadas legalment...

. MADELEINE

. 2007, Maio, 6 - Dia da Mã...

. Vamos caminhar pela vida!

. Dia Internacional da Mulh...

. A REN e os resultados do ...

.arquivos

. Fevereiro 2009

. Maio 2008

. Janeiro 2008

. Agosto 2007

. Maio 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

O seu nome / e-mail:
Comentários / Perguntas:

Como encontrou este blog?
Gostou deste blog?
Sim Não
meet singles contador usuarios online Salud sites

.Consigo, já são...

Free Cell Phones
Las Vegas Condos
blogs SAPO

.links

Domingo, 30 de Abril de 2006

A VIDA É UM DOM E UMA TAREFA

****************************************

 

O debate sobre a vida humana surge sempre ciclicamente nas sociedades, nos países, nos estados um pouco em fidelidade com as agendas dos partidos, das organizações e particularmente em função do que convém politicamente a quem governa, neste ou naquele momento, os povos.

Em Portugal, esta estratégia é também adoptada! Se num dado momento já se conseguiu impor determinada legislação mais ou menos permissiva, virá outro momento em que se pretende ir mais além!

De forma muito simples e objectiva podemos sintetizar que uns defendem que não é legítimo intervir sobre a vida de um ser humano, desde o momento da concepção até ao momento da morte, e outros consideram que essa intervenção é legítima.

Os primeiros condenam, por exemplo, o aborto, a eutanásia e outras formas de atropelo à vida humana. Os segundos aceitando-os, tentam manipular as mentes menos esclarecidas com argumentos subtis de pseudo dignidade humana.

Já se vai tornando comum associar quer uma posição quer outra a determinadas filosofias político-religiosas.

Porém, entendemos que a vida, nas suas múltiplas matizes, é um bem e um dom de valor incomensurável que não devia nunca ser entendida como algo manipulável, na sua essência.

Torna-se necessário que haja uma linha clara, nítida, que separe a vida da morte. Na transposição dessa linha não poderá nunca existir a intervenção de alguém!

Ora os que defendem a eutanásia e o aborto estão a admitir que a linha que protege a vida não é nítida, que o início da vida e o momento da morte são discutíveis, que um ser com menos de 12 semanas (e com 12 S e 1 D já será?!) não pode ser considerado um ser humano e que um homem ainda vivo pode já «merecer» estar morto - sendo admissível, por isso, o golpe de misericórdia.

Esta aceitação da ideia de que à volta da vida não deve haver uma linha inviolável mas uma nebulosa, e que são legítimas as intervenções nessa zona no sentido de interromper a vida ou apressar a morte, é um passo terrivelmente perigoso.

Porque, além da eutanásia e do aborto, abre o campo a outras enormidades como a manipulação genética sem regras e até a pena de morte.

Em teoria pode-se até admitir como lógicos pensamentos ainda mais tenebrosos como este: - se uma pessoa deixou de trabalhar e de ser produtiva, se se tornou um estorvo para os seus familiares, ou para a sociedade, porquê mantê-la viva?

Se a eutanásia é permitida, por que não alargar esse conceito aos velhos que só representam encargos para a sociedade e um peso insuportável para os parentes?

Aceitar a manipulação da vida é um risco tremendo.

Aqueles que, por razões ideológicas ou porque consideram que isso é «moderno», defendem «causas» como a eutanásia e o aborto, deveriam pensar um pouco mais a fundo até onde isso nos poderá levar.

Está então justificada toda e qualquer iniciativa tendente a criar modos de associação de pessoas, de cidadãos defensores da vida que orientando-se estatutariamente por uma postura não-confessional, pretendam,de múltiplas formas, bater-se intransigentemente contra a manipulação desta dádiva maior que é a vida e se declarem apoiá-la quando se detectarem acções para a aviltar!

JD

 

 

 

sinto-me:
publicado por adavviseu às 01:20

link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito

.subscrever feeds