.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Fevereiro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28

.posts recentes

. 11 de Fevereiro - Dois an...

. SEMANA DA VIDA

. ADAV-VISEU … UM NOVO FÔLE...

. Feliz 2008... em favor da...

. Vidas abortadas legalment...

. MADELEINE

. 2007, Maio, 6 - Dia da Mã...

. Vamos caminhar pela vida!

. Dia Internacional da Mulh...

. A REN e os resultados do ...

.arquivos

. Fevereiro 2009

. Maio 2008

. Janeiro 2008

. Agosto 2007

. Maio 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

O seu nome / e-mail:
Comentários / Perguntas:

Como encontrou este blog?
Gostou deste blog?
Sim Não
meet singles contador usuarios online Salud sites

.Consigo, já são...

Free Cell Phones
Las Vegas Condos
blogs SAPO

.links

Domingo, 11 de Fevereiro de 2007

Referendo: "Sim ao aborto" venceu mas... a Vida será cada vez mais um dom, um desafio, uma tarefa!

O povo português foi chamado a pronunciar-se sobre a despenalização do aborto.

O SIM ao aborto ganhou!

O NÃO à possibilidade de permitir que as mães ponham fim à vida dos seus filhos em desenvolvimento no seu útero, perdeu!

Mas a maioria dos eleitores entenderam por bem abster-se e não se deslocar às Assembleias de Voto para expressar a sua posição. Haverá pessoas que reflictam sobre estes factos. Para nós, basta sentirmos que foi, no entanto, um retrocesso civilizacional!

A ADAV-Viseu, associação preocupada com a vida no arco inteiro da sua existência, desde a concepção até à morte natural, sente-se magoada por esta decisão popular, pois entende que “sentir a mágoa é uma forma sublime de gostar”! E a Associação de Defesa e Apoio à Vida gosta da Vida, ama cada mulher e cada filho nela concebido e nasceu em Viseu, em Maio de 2006, para desenvolver acções em favor das pessoas, contribuindo para dar mais vida à Vida!

Esta é a nossa aposta, o nosso desejo, o nosso crer! Será este o nosso rumo!

A visibilidade local e regional que a associação tem já, decorrente do seu envolvimento nesta causa, transforma-se em responsabilidade e esperança, particularmente num distrito onde a maioria deu indicadores de possuir as mãos limpas e disponíveis para apoiar e defender a vida!

Por isso, queremos crescer como associação, ampliar o número de associados e assim conseguir as condições para lançar projectos próprios e implementar protocolos de cooperação com instituições, estruturas e outras associações que privilegiem a vida e estejam em sintonia com os princípios estatutários da ADAV-Viseu.

A Vida continua a ser, para nós, um dom, um desafio e uma tarefa!

 

publicado por adavviseu às 21:58

link do post | comentar | favorito
|
19 comentários:
De Ana a 11 de Fevereiro de 2007 às 22:17
O resultado do referendo indicou-nos que o nosso país passou a ser menos justo, menos humano e menos solidário!
Permitirá que a o planemento da vida seja mais "feliz" mas menos consicente e menos responsável!
A mulher tem agora a possiblidade de matar o seu filho que possa surgir como fruto dum relacionammento íntimo esporádico ou de uma vivência da sexualidade assente no prazer e no uso do corpo como instrumento de vivências de "êxtase"! Essas, não terão nunca problemas de consciência!
Que a vossa Associação sinta novo ânimo para implementar a ajuda ás outras mulheres! Asssim, marcareis a história das gerações vindouras, salvando-a!
Força, ADAV-Viseu!
De fze larcher a 11 de Fevereiro de 2007 às 22:52
Por acreditar na Vida e no Vosso Trabalho na defesa e apoio à vida, quero hoje dizer-vos que serei mais uma das vossas associadas. Contemos todos uns com os outros, pois isto é só o principio de mais um problema grave na nossa sociedade.
Vamos ver e analisar o que virá no futuro próximo e no mais longinquo.
A lei surgirá decerto; mas que lei? Com que regulamentação? Com que meios financeiros? Com que profissionais de saúde? Com que tempo para o tão falado apoio à mulher?
O tempo o dirá. Nós continuaremos decerto a trabalhar para esclarecer e para de facto apoiar e defender a vida.
Jovens contem connosco. A vida vale muito e temos de a saber usar para sermos felizes e fazermos os outros felizes.
Parabéns ADAV Viseu pelo trabalho desenvolvido.
De Leila Fernandes a 12 de Fevereiro de 2007 às 00:45
Sinto vergonha em ser portuguesa...

Mas não sinto vergonha em assumir que o meu NÃO continua.

Eu sou do Porto e quero fazer voluntário, sim. Mas não sei onde me informar. Se me puderem dar contactos, agradecia.

Abraço amigo a quem tem coragem de assumir a VIDA, Leila Fernandes.
De Mª de Lurdes a 12 de Fevereiro de 2007 às 10:03
Temos um mail da gmail "adavviseu@gmail.com" emvie o seu email para lá, para lhe enviar a informação que pede, há várias associações e movimentos em todo o país a trabalharem no apoio concreto á vida e ás mulheres e crianças.
Mª de Lurdes
De Mª de Lurdes a 12 de Fevereiro de 2007 às 08:25
Vamos continuar, a defesa da vida é hoje mais do que nunca o objectivo de todos nós.
Obrigado a todos os que deram tudo para que a campanha para o referendo fosse esclarecedora e equilibrada.
Agora é tempo de refazer energias para continuar com mais força ainda a nossa tarefa, a de todos e de cada um de nós.
Ajudar as novas gerações a perceber o dom e o sentido da vida e fazermos nós todos tudo o que estiver ao nosso alcance para que a ADAV seja uma realidade concreta e eficaz no nosso meio.
Mª de Lurdes
De bento77 a 12 de Fevereiro de 2007 às 10:33
Depois destes dias, eu não podia passar sem dar os Parabéns à ADAV-Viseu pelo trabalho desenvolvido em favor da vida. Penso que foi um trabalho sério e de esclarecimento, que foi o que faltou nesta campanha por parte do Sim (seriedade e esclarecimento).
Já agora, fiquei muito contente por ouvir a proposta do Nâo ontem à noite. Se existe dinheiro do Estado para pagar os abortos, também deve haver esse mesmo dinheiro para quem não queira abortar. É uma medida justa.
De Pedro TN a 12 de Fevereiro de 2007 às 11:55
Os poucos Portugueses que votaram em 2007 foram muito mais que aqueles que votaram NÃO em 1998. Em 1998, o NÃO venceu por cerca de 50 000 votos, este ano, o SIM venceu com uma diferença de cerca de 700 000 votos. Toda a gente sabia que a abstenção não iria ser superior a 50%, em 1998 a abstenção foi de 68% e aí ninguém NÃO se lamentou.
É a eterna desculpa de mau perdedor…
De bento77 a 12 de Fevereiro de 2007 às 12:33
Podes-te explicar melhor? É que eu não consigo entender o teu comentário!!!! Desculpa de quê? Nem quando ganham vocês do SIm são claros...
De fátima a 12 de Fevereiro de 2007 às 13:07
meu caro Sr. Pedro!
já viu os resultados concretos da abstenção de 2007?
veja bem qual foi a percentagem da abstenção, penso que andará a precisar de óculos .
De Anónimo a 13 de Fevereiro de 2007 às 10:09
Eu queria ver se o Não ganhasse mas, com a abstenção superior a 50%, a assembleia decidisse na mesma despenalizar. Era uma chuva de criticas porque não era a vontade do povo.

Assim, como foi o Sim que ganhou, há criticas na mesma porque a abstenção foi superior a 50%.
De fátima a 12 de Fevereiro de 2007 às 13:10
É um facto, o SIm ganhou!
Sinto uma grande tristeza por sentir que uma grande maioria da nossa sociedade tem uma definição de AMOR muito deturpada.
Afinal, será que dignidade humana terá mais que um significado?
Hoje, como ontem acredito que a vida é o maior dos dons, o qual nos é oferecido sem pedir nada em troca.
Independentemente do tempo de existência da pessoa, quero continuar de mãos abertas para acolher todos os que precisam de apoio, dedicação e que necessitem de ser encaminhados em momentos concretos das suas vidas.
Apesar de tudo, foi muito positiva toda a vivência ao longo desta campanha, houve pessoas que inicialmente tinham uma opinião e no final se manifestaram completamente a favor da vida, houve mesmo aqueles que se desinstalaram, deram a cara, sem medo das tantas dificuldades com que se depararam...
Não será uma lei que vai alterar as minhas convicções, sinto que devo fazer muito mais... Numa sociedade onde se sente uma ausência de objectivos concretos, esta campanha apresentou uma nova esperança, a juventude deu um testemunho muito positivo, empenhados na defesa da vida, não só dizendo não, mas justificando o seu não anulando o Sim ao aborto.
As preocupações de ontem são as mesmas de hoje! É urgente responsabilizar o estado e exigir politicas sociais e económicas mais justas. Propunha mesmo, que para além de se dar á mulher que quer ser mãe o mesmo valor que se gasta com uma mulher que quer abortar, se beneficiasse a mulher que quer ser mãe descontando um ano na reforma, por cada filho que dê à luz, ou mesmo que se valorize, como em outros países, o trabalho da Mãe que quer ser mãe a tempo inteiro.
O nosso NãO continua com a mesma carga positiva, continua a ser uma opção permanente pela vida.
Aqui estamos de mãos dadas, prontos a encontrar e a dar alternativas para todas as mulheres que não querem ver o aborto como única opção.
Ontem com hoje e amanhã, escolho a vida.
De Thaís a 12 de Fevereiro de 2007 às 23:58
A prática do aborto, antes mesmo de o ser um atentado contra a vida do pequeno feto; é um atentado contra a mãe que o pratica. Pois que a ela já é facultado um grande dom, digamos assim, de gestar. De carregar no ventre um pequeno ser indefeso. Mas sabemos que todos tem seu grau de entendimento da vida, e devemos respeitar, pois mais cedo ou mais tarde estas mesmas pessoas acordarão para o verdadeiro espetáculo da vida !!
De M. Acília Alexandrino a 13 de Fevereiro de 2007 às 11:02
Na noite do Referendo e ontem chorei amargamente. Não por vencer ou perder. Mas pelo estado real das pessoas do nosso país. Sentia raiva, desgosto, tristeza... Sentia -me perdida.
Abortos em maternidades, hospitais...à revelia da lei, todos os conhecemos. Mas que a lei portuguesa se torne cada vez mais e mais permissiva e incoerente é demasiado doloroso. O EGO está tão grande, tão absorvente, tão obscurecer da razão. Ao que estamos a chegar, meu Deus! Não entendo o mundo em que vivo.
Depois do luto, do vazio e das lágrimas pensei:
- Isto é um grande desafio! O que as consciências precisam cada vez mais é de ser despertas para o que realmente vale a pena. O mundo está faminto de valores, da VERDADE. Há que enxugar as lágrimas e cobrar ânimo. Há que preparar-nos para outro grande desafio: a eutanásia.
É tão cómodo livrar-nos de quem nos estorva!
Mais e mais temos que nos agarrar a iniciativas que promovam e defendam o VALOR da VIDA.
Contem comigo hoje e sempre, enquanto Deus me der forças.

De Anónimo a 16 de Fevereiro de 2007 às 10:09
"Abortos em maternidades, hospitais...à revelia da lei, todos os conhecemos. Mas que a lei portuguesa se torne cada vez mais e mais permissiva e incoerente é demasiado doloroso."
Esta frase diz tudo. Queriam deixar a lei como estava porque assim, quem tinha amigos lá dentro, fazia na mesma os abortos. Quem não tinha, que fosse a Espanha, que fosse onde quisesse, que para todos os efeitos não havia abortos em Portugal...
De adavviseu a 17 de Fevereiro de 2007 às 13:54
Caro "anónimo"
Qualquer comentário é bem recebido neste nosso espaço. Porém, gostaríamos que não existissem "anónimos". Assim seria evitada a exclusão do comentário.
Obrigados.
De Angela Almeida a 13 de Fevereiro de 2007 às 23:18
Após todo o trabalho desenvolvido nestas semanas anteriores ao refererendo e com o resultado favorável do SIM criou em mim uma vontade enorme em lutar pela vida em todos os momentos. Penso que cada um de nós deverá ser um rosto sereno, sorridente com uma grande vontade em salvar vidas. Cada um de nós é fundamental neste caminhar. É tempo de nos unirmos. Obrigado ADAV por me desinstalares.

Comentar post

.subscrever feeds